Projeto Pedagógico do Curso

O perfil do formando em Licenciatura em Educação do Campo caracteriza-se pela sua prática educativa comprometida com a realidade social dos povos do campo, sendo um mediador entre a cultura das populações do campo e o conhecimento universal. Esse profissional tem o compromisso de levar para os seus espaços de atuação, sejam estes escolares e não-escolares, a reflexão teórica-prática que a concepção de Educação do Campo expressa, assim deve ser um agente transformador das realidades educacionais presentes no campo.

Ao mobilizar seus conhecimentos científicos e técnicos deverá ter a sensibilidade e reflexividade de contribuir com a mudança do local em que se insere, possibilitando que os sujeitos do processo educativo se reconheçam como sujeitos ativos da aprendizagem e partícipes na relação de ensino, e principalmente como sujeitos de direitos lhes revelando o direito a cidadania por meio de uma educação digna e de qualidade, por assumir o compromisso de construir uma educação contextualizada, crítica e engajada com a realidade do campo.

O Educador do Campo deverá ser o principal agitador e mobilizador social na resistência e defesa da educação pública, gratuita e de qualidade para os povos do campo, assumindo como papel fundamental a formação humana integral dos sujeitos do campo, em todos os seus espaços de inserção. O profissional formado no Curso de Licenciatura em Educação do Campo (CAP/UERN) reconhece que a docência é a base fundante da sua formação e identidade, estando apto para atuar nas escolas das áreas rurais na Educação Infantil, nos anos iniciais do Ensino Fundamental, na Educação de Jovens e Adultos, na Gestão Escolar das escolas do campo e em espaços não escolares relacionados às áreas rurais, comprometidos com a realidade e valorização cultural, com a vida e trabalho dos sujeitos que vivem no campo.

O Educador do Campo entende que teoria e prática são duas dimensões integradas e inseparáveis, que em suas salas de aula e/ou em outros espaços de atuação a cultura e os saberes do campo são elementos imprescindíveis para se desenvolver uma educação crítica e contextualizada, articulada por meio do ato educativo que toma da realidade social elementos para refletir a teoria e prática.

Portanto, de se compreender o ato educativo como práxis marcadamente intencional e que se consubstancia através de um fazer profissional que, para ser efetivo em seus propósitos, demanda diálogo e atenção à autonomia/emancipação dos sujeitos envolvidos, como condição para que eles se expressem genuinamente.

Em conformidade com a Resolução do CNE/CP N. 01/06, Art. 5º e da Resolução nº 02 de 1º de julho de 2015 que trata das diretrizes para formação inicial e continuada, o egresso do Curso de Licenciatura em Educação do Campo da UERN deverá estar apto a: 

● atuar com ética e compromisso, visando a construção de uma sociedade justa, equânime, igualitária;

● compreender seu papel no desenvolvimento das aprendizagens dos alunos da Educação Infantil e do Ensino Fundamental em todas modalidades, assim como daqueles que não tiveram oportunidade de escolarização na idade própria;

● participar do debate sobre as questões educacionais, e em especial sobre a educação do campo;

● dominar os fundamentos históricos, filosóficos e científicos que influenciam o pensamento pedagógico, especialmente a construção da Educação do Campo, a fim de promover uma prática pedagógica comprometida com essa concepção de educação.

● trabalhar em espaços escolares e não-escolares, na promoção da aprendizagem de sujeitos em diferentes fases do desenvolvimento humano, em diversos níveis e modalidades do processo educativo;

● reconhecer e respeitar as manifestações e necessidades físicas, cognitivas, emocionais e afetivas dos educandos, nas suas relações individuais e coletivas;

● aplicar modos de ensinar diferentes linguagens – Língua Portuguesa, Matemática, Ciências, História, Geografia, Artes, Educação Física, Tecnológica, LIBRAS, de forma interdisciplinar e adequada às diferentes fases do desenvolvimento humano, particularmente de crianças;

● relacionar as linguagens dos meios de comunicação aplicadas à educação, nos processos didático-pedagógicos, demonstrando domínio das tecnologias de informação e comunicação adequadas ao desenvolvimento de aprendizagens significativas;

● promover e facilitar relações de cooperação entre a escola, a família, a comunidade e outras instituições educativas;

● identificar problemas socioculturais e educacionais com postura investigativa, integrativa e propositiva em face de realidades complexas, com vistas a contribuir para a superação de exclusões sociais, étnico-raciais, econômicas, culturais, religiosas, políticas, dentre outras;

● demonstrar consciência da diversidade e busca pela inclusão respeitar as diferenças de natureza ambiental-ecológica, étnico-racial, de gêneros, faixas geracionais, grupos minoritários, classes sociais, religiões, necessidades especiais, escolhas sexuais, dentre outras;

● atuar na gestão das instituições de educação básica, planejando, executando, acompanhando e avaliando políticas, projetos e programas pedagógicos;

● participar da gestão das instituições de educação básica em que atuem enquanto estudantes e profissionais, contribuindo para a elaboração, implementação, coordenação, 21 acompanhamento e avaliação do projeto pedagógico, considerando os ambientes escolares e não-escolares;

● agregar a esses espaços, os ambientes culturais, científicos, e tecnológicos, físicos e virtuais que ampliem as oportunidades de construção do conhecimento;

● utilizar instrumentos de pesquisa adequados para a construção de conhecimentos pedagógicos e científicos, objetivando a reflexão sobre a própria prática, envolvendo a discussão e disseminação desses conhecimentos;

● realizar pesquisas que proporcionem conhecimentos, entre outros: sobre seus alunos e alunas e a realidade sociocultural em que estes desenvolvem suas experiências não-escolares; sobre processos de ensinar e aprender em diferentes meios ambiental/ecológicos; sobre propostas curriculares; e sobre a organização do trabalho educativo e práticas pedagógicas;

● ler e discutir referenciais teóricos contemporâneos educacionais e de formação para compreender e apresentar propostas e dinâmicas didático pedagógica em seus espaços de trabalho;

● utilizar, com propriedade, instrumentos próprios para a construção de conhecimentos pedagógicos e científicos;

● estudar e aplicar criticamente as diretrizes curriculares e outras determinações legais as quais lhe caiba implantar, executar, avaliar e encaminhar o resultado de sua avaliação às instâncias competentes.

● Implementar teórico-metodologicamente estratégias pedagógicas pertinentes à realidade da Educação do Campo.

O curso terá carga horária de 3.200 (Três mil e duzentas) horas/aula, com duração no mínimo de 8 (oito) semestres e, no máximo, 11 (onze) semestres.

O curso de Graduação em Educação do Campo na modalidade a distância envolverá os (as) seguintes profissionais: a) docentes (professores (as) conteudistas das disciplinas);

b) coordenador (a) da tutoria;

c) tutores;

d) auxiliar de docência

e) auxiliar administrativo (monitor (a) de secretaria);

f) secretário (a) do curso;

g) coordenador (a) do curso;

h) coordenador (a) pedagógico;

i) coordenador (a) do Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA);

j) coordenador do polo;

k) Núcleo Docente Estruturante.

A avaliação ocorrerá durante o desenvolvimento do curso e procurará considerar a participação e o desenvolvimento nas atividades propostas no polo, a participação nas atividades no ambiente de aprendizagem e o desempenho geral durante o curso. Os critérios da avaliação por parte do professor serão discriminados nos respectivos planos de ensino de cada disciplina respeitando as normas da UERN e em conformidade com os critérios aprovados pelo Colegiado do Curso.

A esta avaliação somar-se-ão as avaliações presenciais sobre conteúdos específicos das disciplinas. Das avaliações presenciais podem constar questões discursivas e objetivas. Todas as avaliações serão elaboradas e corrigidas pelo docente da disciplina.

Cabe ao tutor presencial, com a supervisão do professor interativo (docente da disciplina), a atribuição de notas de avaliação e a responsabilidade pelo controle de frequência do aluno. A frequência é registrada on-line no Portal pelo tutor presencial, logo após a realização da aula interativa e das atividades presenciais. O acadêmico é aprovado mediante 75% de presençaem relação ao total de horas das aulas interativas e das horas das atividades presenciais de cada disciplina.

Até, no máximo, dez dias úteis após a avaliação, o professor deverá divulgar a nota obtida na avaliação, sendo garantido ao aluno o acesso à sua prova, podendo solicitar cópia dela ao Departamento de Educação, arcando com os respectivos custos.

Baixar Arquivo
SIGAA | Diretoria de Informatização - DINF/UERN - (84) 3315-2222 | Copyright © 2006-2022 - UFRN - app01-uern.info.ufrn.br.producao01-uern